Papai Noel dos Correios 2010 – Pegue sua cartinha!

Este post é para falar de uma campanha linda e séria dos Correios: o Papai Noel dos Correios.

Há alguns dias tive uma experiência emocionante, que foi buscar algumas cartinhas nos Correios para enviar presentinhos para as crianças neste Natal.

Por mais que eu seja plenamente consciente da realidade social em que vivemos, até por causa da minha formação em Sociologia, infelizmente, devido à vários fatores, muitas vezes parece que vivo em uma bolha de vidro, e quando a realidade bate na porta, é um soco no estômago e um “acordaaaa guria”!

Afinal, para mim é muito triste ver crianças pedindo coisas tão banais e baratas para pessoas que como eu e você trabalham e vivem uma vida “normal”, quanto uma caixa de chocolate ou um material escolar! Elas poderiam ter pedido coisas de criança, como uma bola, um patins, uma bicicleta… Mas não, pediram coisas simples, que com menos de 10 reais conseguimos comprar!

Lendo as cartinhas lá nos Correios, eu me acabei em lágrimas, e quero participar dessa bela iniciativa dos Correios todos os anos. Eu nunca havia participado desta iniciativa, e quero correr atrás do atraso.

Obviamente, dar um presente não resolve o problema da miséria e da falta de oportunidade. Mas, acredito que realizar um sonho e responder à cartinha da criança com palavras de incentivo e carinho pode sim, fazer a diferença na cabecinha dela e fazer com que ela tenha forças para correr atrás de seus sonhos e objetivos.

E olhem só: a campanha Papai Noel dos Correios é realizada há mais de 20 anos! Não é incrível?

E em todas as agências dos Correios do Brasil há mais de 17 milhões de cartinhas esperando que alguém as adote.

Que tal você dar uma passadinha lá também? Corra que ainda dá tempo!

Desfiles do Garten Fashion Life e DESABAFO da Mog

Do dia 05 a 07 de outubro rola aqui na minha cidade o Garten Fashion Life, no Joinville Garten Shopping. São 3 dias de desfiles com marcas bem bacanas e oportunidade de conhecer mais de pertinho as novas coleções e novidades do verão 2011.

Quando soube do evento fiquei super feliz, pois a cidade aqui é carente de qualquer evento desse tipo, e esse shopping, recém inaugurado, além de lindo e com marcas super antenadas, tem uma equipe de marketing que está realizando eventos e exposições muito bacanas. Eventos de moda devem sempre ser encarados não como futilidade, mas como essenciais para formar um público conhecedor e consumidor de moda, não é mesmo? O que seria melhor para girar uma economia do que este tipo de consumo? Ainda mais o consumo feminino, que é um tema que muito me agrada e extremamente gerador de receita!

Bom, falando do evento: fui ontem aos desfiles na companhia da minha amiga japa e linda, a Karmen. Ontem assisti ao desfile de 3 marcas: M.Officer, Renner e Scala.

São três marcas que gosto muito, mas confesso tenho um enorme pé atrás com uma coisa da M.Officer: a péssima escolha das vendedoras de algumas lojas que fui aqui em Joinville e Curitiba. Não quero generalizar, pois seria muito injusto, obviamente. Mas sabe quando SÓ tenho experiência ruim ao entrar nessa loja? Ontem, por exemplo, fui pegar os convites da M.Officer e foi a última loja que entrei. Acreditam que as duas vendedoras nojentinhas da loja aqui de Joinville me deram o convite com uma cara de noooojo total, e não fizeram a mínima questão nem de apresentar a coleção, mostrar novidades?! NADA!

Ao contrário das vendedoras da loja Scala aqui de Joinville, que são umas foooofas de tudo, incluindo a Luana, minha super vendedora que eu já conhecia de outras lojas. Sabe aquela vendedora que te atende MUITO bem, mostra tudo, não empurra nada, e consegue delicadamente te convencer a levar meia loja pra casa e você nem sente? Isso sim que é uma verdadeira vendedora!

E ontem foi assim, ao entrar na Renner e na Scala: vendedoras super simpáticas, atenciosas, apresentando as novidades, o catálogo… Além disso tinha champagne para as convidadas dos desfiles da Renner e da Scala nas lojas após os desfiles. Super fofo e delicado!

Nos próximos posts de hoje, vou postar fotinhos e comentários com o que teve de lindo e promessas da moda verão em cada um dos desfiles. Assim como comentários sobre as makes e cabelos. (só estou aguardando o shopping me enviar as fotos oficiais do evento, com os looks de frente).

Mas nesse post, eu queria fazer um desabafo e perguntar pra vocês, leitoras e amigas: só eu que me estresso e deixo de gostar de uma marca por causa das vendedoras? Gente, eu achei o desfile da M.Officer lindo, mas não dá vontade de ir comprar nada só por causa das vendedoras nojentinhas…

Deixem seus comentários para eu não me sentir tão ranzinza sozinha vai…. hehehe

Mercado de Pulgas: fui e vendi minhas roupas!

Neste sábado, ocorreu na minha cidade (Joinville) um evento muito legal: o primeiro Mercado de Pulgas, na lindíssima e restaurada Estação Ferroviária da cidade (Estação da Memória). O evento foi criado baseado nos tradicionais Mercados da Europa e no Mercado das Pulgas de Curitiba, e nesta primeira edição qualquer pessoa que tivesse peças que gostaria de vender poderia participar, e havia coisas diversas, como: quadros antigos, porcelanas inglesas, moedas, patrarias, máquinas de costura antigas, e muuuita roupa e acessórios. Não era necessário ser propriamente antiguidades, apenas coisas em bom estado que você não quisesse jogar no lixo ou doar, mas que valem algum dinheiro e você não sabia como se desfazer.

Logo que eu soube do evento, fiquei doida. Adoro brechó, amo antiguidades, e acho que toda cidade deve ter esse tipo de evento que além de tornar-se parte da agenda cultural da cidade, é super sustentável. Mas minhas roupas de brechó eu não vendo nem morta! São roupas garimpadas e especiais (como o vestido Nina Ricci que paguei DOIS REAIS!), então fiz a maior limpa no meu closet, e me inscrevi para expor e vender minhas roupas atuais, e levei MUITAS roupas! Montei duas araras enormes, um cabideiro e uma mesa, e lotei de roupas que quase nunca usei, e muitas que nunca havia usado (para espanto de muitos e minha vergonha, haviam diversas peças com etiqueta ainda!), além de bolsas, sapatos e acessórios diversos.

Fiz questão de colocar apenas roupas legais e bonitas e em ótimo estado de conservação e limpeza, pois acho muita sacanagem vender coisas mal cuidadas. Odeio brechós que vendem coisas caras e feias, pois acredito que roupas usadas devem ser vendidas por preços justos e não abusivos.

O bom é que esvaziei meu guarda roupa, e a minha banquinha fez o maior sucesso: vendi peças da Farm, Mormaii, Hering, TNG, Colcci, Morena Rosa, Makenji, além de muita roupa indiana (adoro!!!) e coisas da Renner e C&A por preços simbólicos. Tudo estava por R$3, R$5, R$10, R$15… Só havia uma peça de R$30 e um casaco da Mormaii por R$50.

O mais legal de tudo foi ter conhecido um monte de gente legal e que se identificou com o meu estilo. Muito legal ouvir das pessoas “suas roupas são legais”, “seu gosto é igual ao meu”, ou “nunca encontro nas lojas roupas assim”. Desde pequena eu gosto de me vestir diferente dos padrões da moda enlatada, e gosto de garimpar em qualquer loja roupas diferentes e que se encaixem no meu gosto, estilo e padrão corporal. Não sou vítima da moda, mas adoro a moda e suas novidades, e acho que é imprescindível cada um ter a sua identidade, afinal, a sua roupa é seu meio de expressão. E a moda vai e vem, mas seu estilo é único e deve prevalecer sempre.

Eu tinha muita dó de me desfazer de algumas roupas específicas, que não eram de brechós e eram novas, e foram compradas em ataques de consumismo. Então, fiquei muito feliz em ver a mulherada se divertindo e limpando a minha barraquinha. Tomara que o Mercado das Pulgas vingue na minha cidade, e que o espaço seja aberto a pessoas normais, e não lojistas. Assim, fica mais divertido pra todo mundo, pois os preços são baixos e a idéia de abrir espaço no guarda roupa prevalece sobre o lucro.

Eu e o Aurélio (meu noivo que me acompanha em todas as aventuras mais bizarras!) ficamos das 7h às 19h em pé, trabalhando, atendendo e nos divertindo. Ganhamos um dinheirinho com as roupas que estavam sem uso, vimos muita gente, conversamos, vimos antiguidades, e voltamos pra casa podres de cansados, mas felizes em ver um evento tão bacana, tão bem organizado, e com tanta gente participando.

Muito legal ver que as pessoas não se importam em usar roupas usadas. Eu acho super normal.

Você usa roupas de brechó também? E já vendeu alguma roupa sua? Olha, faça isso. Eu fiz e achei muito legal.

Festival de Dança de Joinville

Hoje começa o 28º Festival de Dança de Joinville (há, minha cidade!). O evento ocorre entre 21 e 31 de julho, em vários pontos da cidade.

Ele é considerado o maior Festival de Dança do mundo, e são 10 dias de apresentações oficiais no Centreventos Cau Hansen ou em palcos alternativos por toda a cidade, com a presença de milhares de bailarinos e profissionais da dança e das artes de todo o Brasil e do mundo. O Festival contempla os mais diversos estilos, do Balé Clássico à Dança de Rua, passando por Danças Folclóricas, Jazz, Sapateado, Dança Contemporânea…

A cidade fica completamente lotada de turistas, e a cidade respira dança e arte. Shoppings, vitrines, lojas, restaurantes, tudo é decorado e especialmente preparado para este evento.

Além das Noites Competitivas, o festival oferece várias apresentações especiais (como a Noite de Abertura com o musical de Claudia Raia), Noite de Gala, cursos, workshops e seminários para estudantes e profissionais da área, Feira da Sapatilha e o Encontro das Ruas (que valoriza a cena hip hop, incluindo-a como digna de respeito e apreciação da cultura – muito legal!).

Mas o mais legal, são os palcos abertos, onde pessoas que não têm condições financeiras ou disponibilidade para ver as apresentações especiais podem conferir em shoppings, praças, hospitais e até nas fábricas onde trabalham, apresentações de altíssima qualidade, super selecionadas.

Eu sempre assisti as apresentações em palcos abertos, pois nunca consegui comprar os ingressos, pois sempre deixava pra última hora…

Mas neste ano, cheguei cedo nas filas e comprei ingressos para mim e o @oreio para vários dias! E o melhor, os preços são super acessíveis: R$10 para as Noites Competitivas. Valor super bem pago para horas de espetáculo, com váaarias companhias se apresentando. Eu ADORO as apresentações de Dança de Rua!

Se vocês estiver pertinho daqui nesses dias, vem pra Joinville curtir um friozinho e um ótimo programa, vem!

Mais informações sobre o Festival de Dança e a programação, é só entrar no site www.festivaldedanca.com.br