Mercado de Pulgas: fui e vendi minhas roupas!

Neste sábado, ocorreu na minha cidade (Joinville) um evento muito legal: o primeiro Mercado de Pulgas, na lindíssima e restaurada Estação Ferroviária da cidade (Estação da Memória). O evento foi criado baseado nos tradicionais Mercados da Europa e no Mercado das Pulgas de Curitiba, e nesta primeira edição qualquer pessoa que tivesse peças que gostaria de vender poderia participar, e havia coisas diversas, como: quadros antigos, porcelanas inglesas, moedas, patrarias, máquinas de costura antigas, e muuuita roupa e acessórios. Não era necessário ser propriamente antiguidades, apenas coisas em bom estado que você não quisesse jogar no lixo ou doar, mas que valem algum dinheiro e você não sabia como se desfazer.

Logo que eu soube do evento, fiquei doida. Adoro brechó, amo antiguidades, e acho que toda cidade deve ter esse tipo de evento que além de tornar-se parte da agenda cultural da cidade, é super sustentável. Mas minhas roupas de brechó eu não vendo nem morta! São roupas garimpadas e especiais (como o vestido Nina Ricci que paguei DOIS REAIS!), então fiz a maior limpa no meu closet, e me inscrevi para expor e vender minhas roupas atuais, e levei MUITAS roupas! Montei duas araras enormes, um cabideiro e uma mesa, e lotei de roupas que quase nunca usei, e muitas que nunca havia usado (para espanto de muitos e minha vergonha, haviam diversas peças com etiqueta ainda!), além de bolsas, sapatos e acessórios diversos.

Fiz questão de colocar apenas roupas legais e bonitas e em ótimo estado de conservação e limpeza, pois acho muita sacanagem vender coisas mal cuidadas. Odeio brechós que vendem coisas caras e feias, pois acredito que roupas usadas devem ser vendidas por preços justos e não abusivos.

O bom é que esvaziei meu guarda roupa, e a minha banquinha fez o maior sucesso: vendi peças da Farm, Mormaii, Hering, TNG, Colcci, Morena Rosa, Makenji, além de muita roupa indiana (adoro!!!) e coisas da Renner e C&A por preços simbólicos. Tudo estava por R$3, R$5, R$10, R$15… Só havia uma peça de R$30 e um casaco da Mormaii por R$50.

O mais legal de tudo foi ter conhecido um monte de gente legal e que se identificou com o meu estilo. Muito legal ouvir das pessoas “suas roupas são legais”, “seu gosto é igual ao meu”, ou “nunca encontro nas lojas roupas assim”. Desde pequena eu gosto de me vestir diferente dos padrões da moda enlatada, e gosto de garimpar em qualquer loja roupas diferentes e que se encaixem no meu gosto, estilo e padrão corporal. Não sou vítima da moda, mas adoro a moda e suas novidades, e acho que é imprescindível cada um ter a sua identidade, afinal, a sua roupa é seu meio de expressão. E a moda vai e vem, mas seu estilo é único e deve prevalecer sempre.

Eu tinha muita dó de me desfazer de algumas roupas específicas, que não eram de brechós e eram novas, e foram compradas em ataques de consumismo. Então, fiquei muito feliz em ver a mulherada se divertindo e limpando a minha barraquinha. Tomara que o Mercado das Pulgas vingue na minha cidade, e que o espaço seja aberto a pessoas normais, e não lojistas. Assim, fica mais divertido pra todo mundo, pois os preços são baixos e a idéia de abrir espaço no guarda roupa prevalece sobre o lucro.

Eu e o Aurélio (meu noivo que me acompanha em todas as aventuras mais bizarras!) ficamos das 7h às 19h em pé, trabalhando, atendendo e nos divertindo. Ganhamos um dinheirinho com as roupas que estavam sem uso, vimos muita gente, conversamos, vimos antiguidades, e voltamos pra casa podres de cansados, mas felizes em ver um evento tão bacana, tão bem organizado, e com tanta gente participando.

Muito legal ver que as pessoas não se importam em usar roupas usadas. Eu acho super normal.

Você usa roupas de brechó também? E já vendeu alguma roupa sua? Olha, faça isso. Eu fiz e achei muito legal.

49 comentários sobre “Mercado de Pulgas: fui e vendi minhas roupas!”

  1. É, foi bem legal mesmo! Só na hora do almoço que deu uma acalmada, mas de resto foi só correria com a mulherada experimentando e comprando roupas, cintos, bolsas, sapatos e acessórios que a Moguinha levou.

    Nosso carro foi entupido e voltou mais levinho, fiquei feliz de não precisar mais carregar tanto peso na volta :)

    O curioso é que era TANTA roupa na nossa barraquinha que a Moguinha teve que colocar um cartaz esclarecendo que eram roupas dela mesma, e não de brechó. Ninguém acreditava que tudo aquilo era do guarda-roupa dela :)

  2. Ei flor, estava sumida.
    Eu pratico o desapego sempre. Vendo, troco, dou, sempre estou circulando as peças no meu guarda-roupas. Renova energia.

    1. Oi Denise!
      Pois é, pouco tempo de blog, e já deixei ele de lado por algumas semanas. Como sempre, correria e muitos afazeres. Mas espero que não aconteça mais.
      É bem isso! Renova energias. Bem isso que senti!
      Beijos

  3. Oi, linda…
    Superobrigada pela visitinha ao blog… amei o seu e já seguindo, tá?
    Qanto ao post…gosto muito de brechós, acho bacana garimpar peças raras e com preo justo!
    Beijinhos!!!

  4. Oii Flooorrr…
    ta suuper na moda praticar o desapego neh.. Acho suuper correto.. sempre passei minhas roupas e afins pra frente!!!!
    Nao vejo mal nehum em comprar de brecho.. la tem muiiito achados que valem a pena!!!
    Megaa beijo!!!

    ;D

  5. Olá, menina! Que bom que voltou :)
    Fiquei com vontade de ter ido nesse evento. Deve ter sido o máximo ver tanta coisa bonita e diferente; além de poder pechinchar, claro.
    Acredita que NUNCA fui a um brechó? Sempre morri de vontade de ir, e agora lendo o seu post fiquei com mais ainda. Preciso selecionar um dia e me divertir em algum aqui do RJ.

    Obrigada pela visita e elogio. E aquele cinto foi um super achado. Adoro coisinhas baratas e lindas, quando as encontro eu quase dou pulinhos de alegria! :)

    Beeijos e ótimo domingo.

  6. Não acredito que perdi essa!!!
    Tenho uma “VIDA’ no meu guarda roupas pra vender…!
    Beijo
    AMEI seu blog…aliás tooodos!
    como consegue?!
    SUCESSO
    Send news!!!!

  7. Menina, sério que a saia é igual?
    Na verdade, aquilo é um vestido que simula uma saia e blusa. Comprei na Dange, no bairro Tijuca. A sua é da onde?

    E realmente, é ótimo para disfarçar a magrelice! Tanto pelo corte, quanto pela estampa geométrica!

    Beijos! :)

  8. Bem legal, eu nunca fiz isso…mas acho q preciso viu?
    Eu acabo dando minhas roupas, tenho roupas q só usei uma vez, ou nem usei q fiz uma promessa, se eu não usar esse verão, ou dou pra alguém ou vendo.
    Achei bem legal esse evento, pena q é tão longe.
    Bjs…

  9. Nossa, super legal a iniciativa. Queria que tivesse dessas coisas aqui na minha cidade =\ Mas nunca tem :( hahaa! É sempre bom levantar uma graninha, dar uma limpa no armário e saber que muita gente ficou feliz com as coisinhas que compraram, né?

    =*

    1. Shirley, Virgínia e Carla!
      Pois é, toda cidade devia promover esse tipo de evento. Movimenta áreas meio abandonadas (tipo a Estação Ferroviária da minha cidade), faz as pessoas fazerem um programa cultural e ao ar livre, e estimula a compra e reciclagem de peças de roupas baratas e semi novas.

      Venham um dia pra cá! hehehe

      Beijos

    1. Camila, eu adoro ficar horas procurando, então por mim é tranquilo! hehehe
      Mas a dica que te dou é ir em brechós de associações. Esse sim são o máximo e têm sempre roupas mais descoladas.

  10. Oi Mog… tem um brecho ali perto de casa que parece mais uma boutique, nunca entrei, só passei na frente… é o brechó da Betinha.. conhece??

    Eu estou pensando em levar umas roupinhas do Léo no brechó… sabe se tem algum só com roupas de bebês??

    ele tem roupas lindas, muitas importadas que a avó mandou… e como tá crescendo rápido, pensei em vender essas pra poder comprar outras.. eheheheh

    bjss

    1. Oi amigaaa!!! Que bom receber seu comentário.
      Conheço sim, mas nunca entrei. Esse Brechó estava lá no Mercado das Pulgas também.
      Mas sabe, eu pessoalmente não gosto de brechós que são lojas mesmo, por isso nunca me deu vontade de ir nesse. Nada contra o trabalho deles, imagina… Desejo é que tenham muito sucesso! Mas me incomoda os preços abusivos que alguns cobram. Tipo, não adianta uma blusa de brechó ser 40 reais, sabe?
      Por isso gosto de brechós de pessoas “normais” ou de instituições de caridade. Como não precisam pagar aluguel, etc, e não visam o lucro, cobram preços bem amigos e a gente acaba ainda fazendo o bem de alguma forma.

      Sobre as roupinhas de bebê, te mandei um e-mail. Leva mesmo e vamos fazer o brechó também! Ótimo!

      Beijos

  11. Olá! Sou de Aju e aqui NUNCA rola eventos como este que você falou!!! Na verdade, não tem nem brechó decente!!Não pensa em por um brechó virtual???

    Abraços!

  12. Este evento é bem bacana, mesmo. A primeira edição deixou aquele “gostinho de quero mais” e a segunda veio para consolidar a feirinha – mercado de pulgas.

    Muito bom rever amigos, começar novas amizades, trocar experiências, reciclar cultura… Vendi uma boa porção de livros, LPs e CDs. Estávamos ao lado da sua banquinha e você até emprestou espaço em msuas araras para expor alguns vestidos da minha sogra rsrsrs. Obrigado! De fato, sobrou espaço também no nosso carro quando voltamos – na ída foi abarrotado.

    Agora é esperar a próxima edição (terceira). Seguramente estaremos lá marcando presença e faturando mais alguns tostões!
    Bjs e até!

  13. Gostaria que me enviassem um email dizendo quando será o mercado de pulgas em Sampa.Gostaria de participar. Obrigada……..beijos,,,,,

  14. Olá Mog!
    Eu e o Proprietário, Dom José, do Mercado das Pulgas de Curitiba, ficamos muito surpresos ao lermos este post, pois ficamos felizes de saber que nosso trabalho aqui é não só admirado, como também imitado para o bem de um lugar tão bonito como joinville.
    Um grande abraço com carinho e admiração para você e por extensão a todos os Joinvillenses.
    Equipe Mercado das Pulgas de Curitiba e Dom José (proprietário).
    Se quiser entrar em contato, mande-nos um e-mail:
    leilao@mercadopulgas.com.br

  15. Show de bola meu brechó tem apenas 5 meses e conta com um atelier de costura que muitas vezes salva o mês eu vou organizar um evento como esse que vc participou conheço muta gente e também sou conhecido vou convida-las a participar de um dia fora do brechó esse será o nome, e em lugar público do meu bairro pra toda comunidade participar e conhecer o mundo mágico que o brechó carrega consigo. Valeu pela idéia tudo de bom tenho 38 anos sou funcionário público e as roupas doadas pelos amigos que não são de qualidade não vão para os cabides ou arara são doadas pra quem precisa. tudo de bom bj no rosto luz paz e bem!!!

  16. Olá, vi sua reportagem sobre brechó. Sou de Belo Horizonte e gostaria de fazer um Mercado das Pulgas aqui em BH. Qual o primeiro passo? Como faço para conseguir lançar uma coisa tão legal aqui? Bjs

  17. Adorei tudo que você escreveu, sobre suas roupas, os brechós.
    Tenho um brechó aqui em curitiba, e adoro brechós limpos, com roupas transadas e semi-novas, e gente simpática dentro deles.
    Além do brechó, estou crescendo com o aluguel de fantasias, minha fantasias são feitas a partir de roupas que recebo no bechó, logo a qualidade é super boa, não estraga fácil com muitas locações, estou amando.
    Gostaria de saber se em curitiba, já estão organizando este mercados das pulgas, sem alvará, tudo bem light?
    Bjs tania

  18. oi linda!!!!!!eu moro em joinville eu adoro esses mercado de pulgas tinha um maus que tinha de tudo e mais um pouco venda troca muito legal vai ter outro em joinville?quero muito ir,beijos!!!

  19. QUE LEGAL QUE ENCONTREI PESSOAS QUE PENSAM COMO EU,POIS GOSTO MUITO DE BRECHÓS,MINHAS ROUPAS SÃO A MAIORIA DE BRECHÓS OU MELHOR, SÓ ME VISTO COM ROUPAS DE LÁ E ESTOU SEMPRE BEM VESTIDA,GOSTO MUITO DE VENDE-LAS TBÉM,JÁ DOEI MUITAS ROUPAS MAS AGORA RESOLVI GANHAR UMA GRANINHA COM ISSO.

  20. Oi Fofa!!
    Adorei seu blog e a idéia do mercado de pulgas. Queria fazer algo parecido por aqui, na minha cidade. Convidar as amigas e marcar uma tarde para vender ou trocar, mas não sei se a idéia seria bem aceita por elas… Queria que aqui tivesse algo desse tipo. Bjos

  21. Hoje comprar em brechó é mais natural, sai em muitas mídias e reportagens e virou acabou algo mesmo bacana e até mesmo pra ganhar uma renda extra. Nós do Café Brechó, Café Brechó fazemos compra e venda, quem quiser conhecer fica a dica:
    Parabéns pelo artigo e pelo site.
    Bj

  22. oi gostaria de saber a onde posso encontar aqui em curitiba um lugar que venda por atacado roupas usadas para brechó

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *